quinta-feira, 16 de novembro de 2017

SEM FRESCURA

Pra quem disse que voltei 'americanizado' (do norte) só porque passei uns dias fora, isto é impossível. Primeiro porque não tenho mais idade pra este tipo de empolgação e deslumbramento pueris. Depois por já ter vivido um tempo entre os ianques e constatar que eles também têm problemas e, finalmente, por ser nacionalista demais para deixar que alguém sequer pense em se dizer melhor que nós. Entretanto, toda vez que saio do país, principalmente, para os EUA, elogio sua educação no trânsito, os sistemas trabalhista (lá não tem nenhuma CLT, tampouco reforminhas absurdas e demagógicas), de educação e saúde, o respeito às leis e, evidente, a falta de uma corrupção descarada como a que temos aqui, dentro e fora de uma política protegida por imunidades, impunidades e privilégios. Só.


AOS AMIGOS, TUDO

Quem não tem uma pendenga, uma espera de alguma decisão judicial, por menor que seja? Nem precisa ser algo mais grave, relacionado a crimes, delitos ou até brigas de condomínio, problemas no trânsito, pensão alimentícia, etc. Um simples processo de aposentadoria ou até um pedido de redução de carga horária baseada em lei municipal que permite, por exemplo, que o servidor diminua o tempo de trabalho por ter ascendente ou descendente com doença grave, a verdade é que a demora muitas vezes causa muitos problemas pela falta de interesse e celeridade da Justiça e de outros setores ligados ao serviço público (às vezes o benefício demora tanto que acontece até a morte de alguém) além de diversos tipos de prejuízo causados a parte, geralmente, mais fraca de uma disputa, interpretação, avaliação, concessão, julgamento, etc. e outros meios que integram uma contenda. Mas tudo isto, na maioria das vezes, ocorre porque vivemos num país onde aos amigos a lei e aos inimigos o rigor da lei.



MAMMA MIA, AZZURRA

Vivo fosse, 'vovô Eugenio' estaria com os olhos esbugalhados, num canto da casa, chorando pela eliminação da seleção italiana da Copa do Mundo da Rússia, ano que vem. Tal qual em 1970, no final contra o Brasil, onde ganhamos a partida por 4 x 1 e a copa do México- cena que me lembro de ter visto como uma criança que ainda não entendia muito bem as coisas do coração - e da qual nunca me esqueci. Uma pena para todos, independente de serem ou não italianos, pois a squadra azzurra, tal qual a nossa, a "canarinho" (primeira a se classificar), tem tradição no esporte bretão e também sempre trazia novas emoções durante as partidas. No entanto, a desclassificação era uma espécie de morte anunciada pois há muito tempo não aparecia alguém como Piola, Riva, Mazzola, Rivera, Tardelli, Rossi, Baresi, Baggio, Pirlo. Só um esforçado Buffon, obrigado a jogar ao lado de uma equipe velha, sem charme e sangue novo cujo resultado foi o insucesso transpaltino no apuramento para a Rússia 2018. Uma pena para vovô, seus descendentes e demais amantes do bom futebol e da Itália nossa.

AMORES DE JEAN

O deputado Jean Willys, aquele que falou que se o mundo fosse acabar iria 'usar todas as drogas ilícitas e transar com tudo e com todos que lhe conviesse' (ou algo do gênero) - atitude abominável para quem obteve mais de 100 mil votos para legislar em prol da população homo, hetero, cristã, negra, ou não -, bem que podia renunciar ao mandato, pegar o avião urgente para a Austrália e, quem sabe, arranjar um casamento que, muito provavelmente, seria transmitido ao vivo pela Globo. É que aquele país acaba de dizer sim ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e ele, que também faz parte do grupo que prega este tipo de união (61,6% dos australianos votaram pela legalização do casamento gay) poderia levar toda sua experiência para lá uma vez que pelas terras brasilis ele já conseguiu emplacar a prática. O que não temos nada com isto. Só que não.


EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

Já que estamos em tempos de comemoração pela Proclamação da República (15) e aniversário de Niterói (22), bem que o prefeito Rodrigo Neves podia proclamar, como parte dos festejos, a independência dos moradores da Vila Pereira Carneiro e adjacências que, há muito - justiça seja feita - têm convivido com ruas transformadas em grandes estacionamentos a céu aberto com carros parados em todos os lados impedindo uma circulação mais apropriada de moradores e até motoristas que por elas passam. Basta andar pelo bairro pra ver que tem muita coisa errada. A circulação de ônibus da linha 31, por exemplo, faz com que o bom senso prevaleça e alguém tenha que ceder, subindo em calçadas ou pedindo a Deus que interceda e nada de pior aconteça. Mas a pergunta é: até quando serão só prejuízos financeiros e estresse, já que a cada dia mais e mais espaços são ocupados, ilegal e desordenadamente, naquele lugar antes bucólico como foi a Ponta D'Areia um dia?

NEGÓCIO EM CAIXA

A Caixa Econômica tem ligado para alguns de seus mutuários oferecendo-lhes aquilo que chamam de "uma boa proposta", ou seja, a quitação de pelo menos parte do saldo devedor do financiamento imobiliário através do FGTS. Muita gente não sabe que a conta vinculada também pode amortizar o saldo devedor ou liquidar a dívida, o que para muitos especialistas é uma boa opção pois enquanto o Fundo rende cerca de 3% ao ano, os juros ficam em torno de 10%, percentual ainda bem elevado em relação a muitos países que têm este sistema. De qualquer maneira, é bom os clientes analisarem tudo muito bem, uma vez que o FGTS cumpre o papel de uma reserva no caso de perda de emprego e, como o brasileiro não tem o hábito de fazê-la,... Já que estamos em tempos de crise e o caixa da Caixa, consequentemente, do governo, não tá lá essas coisas, uma forma de atrair mais o interesse dos mutuários poderia ser um bom desconto para quem quitasse o imóvel. Que tal uns 20%? Com certeza, ia ter um bocado de gente indo até o banco bem cedinho para raspar o fundo do tacho.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

DEFORMA TRABALHISTA

Mesmo com algumas medidas provisórias enviadas à Câmara, alterando pontos da reforma trabalhista, em vigor desde o dia 11, muitas são as dúvidas da população se ela vai melhorar ou não sua vida. Particularmente, fico mais com a segunda hipótese, não pelo simples fato de ser contra tudo que vem sendo feito pelos últimos governos - corruptos, incapazes, perdulários e impopulares - e, sim, por não acreditar em nada que, diametralmente oposto, possa dar certo. Como é a relação entre o patrão que quer que o empregado trabalhe mais e ganhe menos e o empregado que quer trabalhar menos e ganhar mais. E como há sempre uma tendência de se pensar, primeiro, no tubarão, no mar e no rochedo, o marisco e o bagrinho - no caso, o trabalhador brasileiro - vão continuar sendo prejudicados. E morrendo na praia.


NOVA CADEIA VELHA

Antigamente, muito antigamente, aliás, se ensinava aos filhos que o certo era estudar muito (quando dava), trabalhar e ser honesto. Hoje, há uma forte tendência de ensinar-lhes a se dar bem, com ou sem política, e até roubar, dependendo da situação. Não raro ver organizações constituídas por membros de uma mesma família, muitas vezes pai e filhos, como, tudo indica, está acontecendo com o presidente da Alerj, Jorge Picciani e, até agora, Felipe - um de seus filhos - levados pra depor na PF, esta semana, já que são alvos da Operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava Jato no Rio. Existem várias acusações contra eles e, apesar de o 'papai-chefe' dizer que ele "em toda sua carreira jamais recebeu qualquer vantagem em troca de favores e que seu filho é um zootecnista, bom pai, bom filho, bom amigo, que trabalha de sol a sol e não tem atuação política" (faltou dizer que são honestos), a Justiça viu fortes indícios de mão na botija, no caso, dinheiro público desviado e enfiado em atividades profissionais, políticas e/ou empresariais. E, claro, destinado às conquistas pessoais da famiglia, comprovando que permanece unida a família que rouba unida. Vamos torcer para que tio Gilmar Mendes não interfira desta vez e que haja Justiça para eles com a prisão - caso condenados - os mantendo bem juntinhos por um bom tempo.

MEU CARO AMIGO

É, meu caro amigo, Chico Buarque, "quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta". Mesmo. E você também tem culpa nisso, por ter apoiado, desde o nascedouro, os projetos de poder de Lula, Dilma e dos camaradas do PT e puxadinhos, os quais criaram a libertinagem, as transgressões, a desordem institucional e, principalmente, a organização criminosa que aí está, saqueando os cofres públicos e transformando a vida de milhões de brasileiros e brasileiras. Para pior, claro, bem diferente do que você e companheiros seus pregaram durante o período chamado (por vocês, intelectuais de meia pataca, aproveitadores de ocasião e amantes do quanto pior, melhor) de "ditadura", insistindo, e até blasfemando (e ganhando rios de dinheiro com poesias, músicas, cordeis, peças teatrais, novelas, incitação à desordem e aos maus costumes, etc) que as esquerdas deveriam assumir o país e promover a justiça social. Resultado: guerra civil, um quase estado de sítio, sem proteção do Estado e sim do crime organizado; desemprego; proliferação de ideias diametralmente opostas, gerando o surgimento de centenas ou milhares de seitas, instituições de crédito, educação, saúde e planos previdenciários vendidos a peso de ouro, por exemplo; crise institucional (sim); muitos equívocos sociais e morais; perda de direitos através de reformas e ascensão de grupos políticos como o PMDB, que deixou de ser apenas um ator coadjuvante e hoje é governo, tão corrupto, maléfico e desacreditado quanto o partido que Chico e milhões de caros amigos seus ajudaram a criar e ainda prometem defender com foices, martelos, enxadas e votos. Isto se a população continuar querendo futebol, samba, muito choro e rock'n'roll. E a fazer pirueta pra cavar o ganha-pão.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

FAZENDO ÁGUA

Finalmente, alguns ratos do PSDB, que queriam continuar roendo o queijo e a corda até quando desse, começaram a pular do navio. Depois de muita discussão interna, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, entregou a carta de demissão ao presidente Frankeinstemer. Embora isto seja muito comum no meio político, a luz amarela- pra lá de avermelhada -  está mais do que acesa dentro do governo que precisa de um mínimo de 308 votos de deputados para aprovar, por exemplo, a reforma da Previdência que, agora, com a revolta e motim de alguns membros importantes do PSDB, fica muito difícil. Pra não dizer impossível.

PRA COMEÇAR A SEMANA

Aí você viaja pro exterior, faz um grande investimento pra se especializar ainda mais e, quando volta, se depara com a mais absoluta falta de meritocracia. Fazer o quê?!?!

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

PANORAMA

BLACK FRIDAY

Este ano, na próxima 4a. sexta-feira de novembro, logo após o feriado de Ação de Graças (Thanksgiving), quando acontece a Black Friday americana, já estarei bem longe no Brasil. Não que despreze uma boa 'pechincha' - e nada pode ser mais tentador neste dia -, nem de grandes ações promocionais assim, que tragam novidades com preços excelentes, mas é que, além de contrair mais dívidas, estourar todos os limites (as famosas 'encomendinhas'), tem a questão da Receita Federal que costuma dar uma geral na brasileirada quando do retorno, principalmente, da terra do Tio Sam. Aí, já viu, mais estresse e novos gastos se ultrapassar a cota de U$500 e precisar pagar o imposto de importação, que é calculado a partir do valor excedente.

OLHO GRANDE

Diz o ditado que "quem tem olho grande não entra na China". Nem no Brasil. Mas isto só para quem costuma viajar para o exterior e extrapolar a cota dos quinhentos dólares americanos com "lembrancinhas, presentinhos para toda a família e alguns poucos eletrônicos". Em tempos e feriadões, fim de ano e férias escolares, é bom não se esquecer de nossas leis que estabelecem vários critérios para quem viaja. O que pode ou não entrar no Brasil sem pagar multas e/ou impostos. Para que não haja surpresas e você não se deixe influenciar por experts em viagens internacionais, tampouco, aqueles curiosos do ouvi falar(outro dia no Brasil escutei alguém falando que "minha amiga trouxe 10 iPhones, fora da caixa"!), converse com quem tem experiência ou, melhor ainda, consulte os sites oficiais da Receita Federal sobre o tema que tratam bem do assunto.

TERRA BRASILIS


Toda vez que venho pros EUA sinto, sem falsa modéstia, o quanto o Brasil é bonito e seu povo admirável (tirando a acomodação e a corrupção que os impedem de crescer mais). Não que o país deles não seja igualmente repleto de riquezas como o nosso, mas no aspecto comportamental - e até sentimental - a maioria dos americanos é tão fria quanto as noites de Nova Iorque durante o inverno. Mesmo sendo bem tratado por aqui, em todas as oportunidades que tenho para reencontrar "brazucas e ianques", não consigo ver a alegria estampada em seus rostos cuja expressão me parece sempre de apreensão, expectativa ou algo assim que os impede de descontrair jogando conversa fora, contando piada, bebendo, rindo alto, até falando de política (como vem acontecendo em cada cantinho do território brasileiro), enfim, sendo feliz mesmo quando a coisa não vai tão bem. Mas isto não é exclusivo deles, pois em todos os países que já visitei (e foram muitos) a alegria, o falar alto (tirando italianos e árabes, claro), o poder de persuasão, o chope, as paqueras e tudo mais só se vê no Brasil mesmo. Principalmente, no Rio e na Niterói de todos nós.


DEU NÃO

Não precisaria ser expert para prever que a grande maioria dos eleitores de Niterói iria dizer NÃO no plebiscito de domingo, em Niterói, sobre o armamento da guarda municipal. Foram 13.478 votos contra 5,478 para o SIM, além de 25 que votaram nulo e oito em branco (o voto era facultativo, como deveria ser SEMPRE em qualquer escolha democrática) e, a despeito do que pensa e quer (ia) o governo, a população entendeu que mais gente com armas letais não significa diminuição da violência e que o problema não está em portá-las e sim na forma como vão ser usadas. E por quem. Considero que aqueles profissionais portarem armas em ruas, parques, jardins e escolas, apesar do treinamento e do apoio psicológico prometidos, está além daquilo que se prontificaram a fazer quando do concurso prestado e poderia haver um não entendimento legal, bem como recusa durante confrontos contra quem está mais disposto e até preparado (os criminosos que não têm nada a perder). Seria a velha história do 'não sou pago pra isso, não vou fazer aquilo e outras frases ditas toda vez que se levanta o assunto e, muito provavelmente, aconteceria durante os confrontos. Sendo assim, se alguém quis fazer graça, ganhar algum dividendo, a população de Niterói não achou graça nenhuma, uma vez que segurança pública é assunto pra quem entende, quer e sabe fazer. O que não é o caso da guarda que deve continuar exercendo o papel de relevante apoio, aliás, o que costuma fazer muito bem. Se a prefeitura quer colaborar ainda mais, que reforce o Proeis disponibilizando novos recursos para que policiais militares, de folga, possam atuar no município e adquira novas armas não letais para serem usadas pelos guardas municipais, Isto, claro, até o dia em que os políticos tiverem vergonha na cara e coragem de mudar as leis que coloquem, por exemplo, quem comete crimes hediondos atrás das grades. Para sempre.

PODRES PODERES

Aquele tal de Carlos Marun (PMDB-MS), deputado da tropa de choque de Temer na Câmara, certamente, bem pago através das benesses concedidas pelo governo e, possivelmente, por outro dos poderes de convencimento, dias destes me fez lembrar da Angela Guadagnin (PT-SP), outra engraçadinha que, anos atrás, após uma votação favorável a ela - claro, contra a maioria da população -,  tripudiou em cima de colegas seus, fazendo dancinha e rindo às escâncaras, e que ficou queimada, tão queimada (a cena era mostrada o tempo todo em noticiários de TV) que nunca mais venceu uma eleição. Ou seja, dançou. A população que elegeu Marun deve estar com tanta vergonha pelo que fez e faz um de seus representantes (ele está como presidente da Comissão que trata da Deforma da Previdência) que, em outubro do ano que vem, deve dar o troco porque não é para dançar e se vender que ele está lá. Nem ele, nem os outros 512 deputados e 81 senadores que atuam no Congresso Nacional.


BRASIL A SALVO

E por falar em métodos para tirar MAIS dinheiro da população, deixando de fora sonegadores e corruptos, por exemplo, como pretendem fazer Temer e seus cúmplices, os reais súditos de sempre, como Moreira, Eliseu, Meirelles e Geddel e Cunha (presos e atuantes), o governo, entre outras medidas, acaba de editar o aumento da contribuição de servidores públicos federais (altera de 11 para 14% parte da contribuição previdenciária de quem tem salário acima do limite máximo estabelecido para os benefícios da previdência social, que é de R$ R$ 5,5 mil) e aumento da tarifa referente a luz (Aneel vai reavaliar sistema de cobrança extra na conta de luz). Mas se engana que o governo vai parar por aí em se tratando do pacote de maldades contra a maioria da população, deixando de fora grandes empresários, agricultores e afins, estes sempre beneficiados de alguma forma através do perdão de dívidas. E, também, coisas afins. As reformas pretendidas para 'salvar o Brasil' estão a todo vapor, sendo que a trabalhista foi aprovada e a previdenciária está em vias de. Isto se não acontecerem novas 'traições' de vários aliados do tal do centrão', debandadas como a dos tucanos -prometidas para breve - e o interesse maior dos deputados e senadores que é o pleito de 2018.


Frase da semana:
Pai Gilmar continua soltando o bandido amado em um dia.
(sobre a nova investida do ministro Gilmar Mendes que mantém Sérgio Cabral preso no Rio)


terça-feira, 31 de outubro de 2017

PODRES PODERES

Aquele tal de Carlos Marun (PMDB-MS), deputado da tropa de choque de Temer na Câmara, certamente, bem pago através das benesses concedidas pelo governo e, possivelmente, por outro dos poderes de convencimento, dias destes me fez lembrar de Angela Guadagnin (PT-SP), outra engraçadinha que, anos atrás, após uma votação favorável a ela - claro, contra a maioria da população -,  tripudiou em cima de colegas seus, fazendo dancinha e rindo às escâncaras, e que ficou queimada, tão queimada (a cena era mostrada o tempo todo em noticiários de TV) que nunca mais venceu uma eleição. Ou seja, dançou. A população que elegeu Marun deve estar com tanta vergonha pelo que fez e faz um de seus representantes (ele está como presidente da Comissão que trata da Deforma da Previdência) que, em outubro do ano que vem, deve dar o troco porque não é para dançar e se vender que ele está lá. Nem ele, nem os outros 512 deputados e 81 senadores que atuam no Congresso Nacional. 

SEM RESPEITO

A partir de amanhã,  o prazo mínimo de suspensão da carteira  Nacional de Habilitação (CNH) para os motoristas que somarem vinte ou mais pontos sobe de um para seis meses. A alteração foi definida por uma lei federal em vigor desde novembro de 2016. O tempo máximo continua a ser de doze meses.
Como o motorista precisa ter cometido todas as infrações dentro do prazo de um ano para ser suspenso, só agora a nova penalidade passa a ser aplicada. Em caso de reincidência, o tempo mínimo aumenta de seis para oito meses, permanecendo o máximo em dois anos. Mais uma lei feita pra não pegar, em sua plenitude, pois o Brasil é o País do jeitinho, do casuísmo e da corrução. Sem falar que em termos de fiscalização efetiva deixamos a desejar em quase todos os aspectos e níveis. A propósito, você conhece alguém que tenha perdido o direito de dirigir por ter atingido a pontuação máxima? E motoristas que, punidos pela lei, não estejam colocando as mãos num veículo?  

PREVENÇÃO, SEMPRE

A cultura da maioria dos brasileiros é de só colocar tranca depois da casa arrombada. Na saúde, então, só procurar socorro quando a coisa tá feia. Veja o que acontece com a hepatite C, por exemplo, causada por um vírus que passa anos sem dar sinal e o drama é que seu primeiro sintoma pode vir de uma cirrose ou de um câncer no fígado. Mas dá pra evitar essas situações extremas com uma simples picada no dedo: o teste para diagnosticar a condição demora poucos minutos e está disponível no sistema público de saúde. Caso ela seja detectada, o tratamento também é gratuito e hoje traz perspectivas de cura. Mesmo com tanta facilidade, há ainda muita gente que não sabe da infecção. Isso motivou entidades como a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH) a criarem uma campanha de conscientização sobre o tema para incentivar o teste para todos e, principalmente, para indivíduos com mais de 40 anos, aqueles que têm tatuagem ou piercing e portadores de diabetes ou doença renal crônica”.

Prevenindo e tratando a hepatite C

Transmissão
As principais formas são compartilhamento de agulhas, tesouras e alicates, transfusão de sangue e sexo sem camisinha.
Teste
Realizado em qualquer posto de saúde, precisa de apenas uma picada na ponta do dedo para a análise de uma gota de sangue.
Tratamento
Três ou quatro comprimidos são prescritos durante três a seis meses e impedem que o vírus continue se replicando.
Eficácia
As drogas conseguem eliminar o vírus em mais de 95% das vezes. Em outras palavras, elas têm poder de cura.

NOVO ANALFABETO

Não é novidade pra ninguém que a corrupção tem feito estragos, cada vez maiores, em todas as áreas. Educação nem se fala. Informe divulgado recentemente pelo Instituto de Estatísticas da Unesco (UIS, na sigla em inglês) revelou que uma parcela considerável dos alunos na América Latina e no Caribe conclui o ensino fundamental sem que sejam aprendidas as habilidades mínimas. Com isso, esses jovens carecem de competências básicas para a compreensão de uma leitura e para fazer contas. Segundo o estudo, cerca 36% dos jovens latino-americanos no ensino fundamental não conseguem atingir níveis mínimos de leitura e 52% não têm compreensão matemática básica. Com isso, totalizam 19 milhões de adolescentes com sérias dificuldades nessas duas áreas do conhecimento. Em relação ao Brasil, os indicadores são ainda mais graves. Segundo dados compilados pela plataforma QEdu, baseados na Prova Brasil 2015, somente 30% dos alunos da rede pública completam o ensino fundamental com aprendizado adequado em leitura e interpretação e apenas 14% conseguem resolver problemas matemáticos básicos. Verbas desviadas de todos os fundos destinados à educação, desde incentivo aos professores, até a merenda básica e transporte de alunos, além de famílias com pouquíssima estrutura por falta de emprego, salários defasados e outros problemas oriundos dsa roubalheira, trazem como resultado o novo analfabetismo, aquele em que o jovem atinge o ensino fundamental sem ter habilidades de ler e fazer contas. Ou se continua a combater a corrupção, intensa e verdadeiramente, ou é melhor se fechar todas as portas. Até a do saber.

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR

Não precisaria ser expert para prever que a grande maioria dos eleitores de Niterói iria dizer NÃO no plebiscito de domingo, em Niterói, sobre o armamento da guarda municipal. Foram 13.478 votos contra 5,478 para o SIM, além de 25 que votaram nulo e oito em branco (o voto era facultativo, como deveria ser SEMPRE em qualquer escolha democrática) e, a despeito do que pensa e quer o prefeito Rodrigo Neves, a população entendeu que mais gente com armas letais não significa diminuição da violência e que o problema não está em portá-las e sim na forma como vão ser usadas. E por quem. Considero que aqueles profissionais portarem armas em ruas, parques, jardins e escolas, apesar do treinamento e do apoio psicológico prometidos, está além daquilo que se prontificaram a fazer quando do concurso prestado e poderia haver um não entendimento legal, bem como recusa durante confrontos contra quem está mais disposto e até preparado (os criminosos que não têm nada a perder). Seria a velha história do 'não sou pago pra isso, não vou fazer aquilo e outras frases ditas toda vez que se levanta o assunto e, muito provavelmente, aconteceria durante os confrontos. Sendo assim, se alguém quis fazer graça, ganhar algum dividendo, a população de Niterói não achou graça nenhuma, uma vez que segurança pública é assunto pra quem entende, quer e sabe fazer. O que não é o caso da guarda que deve continuar exercendo o papel de relevante apoio, aliás, o que costuma fazer muito bem. Se a prefeitura quer colaborar ainda mais, que reforce o Proeis disponibilizando novos recursos para que policiais militares, de folga, possam atuar no município e adquira novas armas não letais para serem usadas pelos guardas municipais, Isto, claro, até o dia em que os políticos tiverem vergonha na cara e coragem de mudar as leis que coloquem, por exemplo, quem comete crimes hediondos atrás das grades. Para sempre.



FIM DO PSDB

Pra quem pensa que o ninho tucano não está alvoraçado, é bom tirar o passarinho da chuva. O que aconteceu, semana passada, durante a votação na Câmara para definir o futuro do presidente Temer (a segunda denúncia foi, devidamente, comprada e derrubada), mostrou que há um racha no PSDB que inclui forte pressão para a debandada geral, isto é, a saída dos ministérios das Cidades, Relações Exteriores, Secretaria de Governo e Direitos Humanos, além de outros muitos cargos em diferentes escalões. Para se ter uma ideia de mais este problemão para o governo (dos 47 deputados tucanos, 22 votaram pelo arquivamento da denúncia, 21 pela investigação e quatro se ausentaram), já que vêm aí votações pelas muitas deformas, digo, reformas emblemáticas e problemáticas (cuja "solucionática deve estar bem longe) como a da previdência e, sem o partido de um Aécio desmoralizado que querem e precisam destituir da presidência o mais rápido, a coisa tende a ficar muito difícil pelo que se viu e verá nos próximos dias pois o pau tá comendo na casa de Noca, também conhecida como Brasília. Isto sem falar nas penas que voam para todos os lados quando se discute a candidatura de Serra, Alckmim ou Dória pela presidência em 2018. Agora é aguardar pra ver se o partido pula antes, durante ou depois do próximo escândalo político.




DORMIR BEM

Vivemos uma época difícil onde o corre-corre, o estresse, a insegurança e os outros problemas advindos da luta por dias melhores para nós e nossa família nos leva a dormir pouco. Muitas vezes, mal. Você alguma vez teve problemas para dormir? Faz uso de remédios? Ou até mesmo já ficou acordando constantemente durante a noite, sem conseguir pegar no sono novamente? Mas não se preocupe, pois existe a possibilidade de poder desfrutar do melhor sono da sua vida todos os dias. Não importa se você está na sua cama ou em um hotel, vai poder dormir com tranquilidade e de forma profunda. Noite após noite. Você deve estar se perguntando: como isso será possível? Simplesmente porque existe uma forma natural de ATIVAR o N-5 (hormônio do sono). Sem fórmulas mirabolantes e também sem o uso de drogas. Este hormônio natural foi destaque em estudos apresentados pela Harvard Medical School, Johns Hopkins e pela Universidade de Stanford, sede do principal centro de estudos para a ciência do sono, o Stanford Center for Sleep Sciences. Fale com seu médico. Ele sabe do que estamos falando e como conseguí-lo.

CONSULTA NACIONAL

Num país em que qualquer bandidinho de m...eia pataca anda com um revólver na cintura, ou um fuzil no ombro, tem-se vários movimentos hipócritas, Brasil afora, pelo porte de amas para algumas categorias. Como São Paulo quis fazer ao solicitar o direito e a prerrogativa de os agentes de trânsito andarem armados (Temer acaba de vetar o projeto aprovado pelo Congresso) e a prefeitura de Niterói fez no último domingo, num plebiscito, onde a grande maioria de sua população disse NÃO querer GCM's trocando tiros com bandidos no meio da rua. Acho que está na hora de, com seriedade e num referendo nacional, se perguntar se as pessoas querem penas severas para quem pratica crime hediondo como sequestro, latrocínio, estupro e roubo de dinheiro público; redução da maioridade penal; menos impostos; fim de foros privilegiados e outras imoralidades que fazem com que sejamos um dos países mais desiguais, injuntos e corruptos do planeta.

BRAVO, BRAVO!

O Brasil não tem povo. Tem público. Esta frase, dita pelo jornalista e escritor Lima Barreto, sintetiza muito bem o que vem acontecendo com o País, principalmente, nos últimos anos, tomado que foi de assalto pelos ladrões - muitos nascidos e oriundos dos Três Poderes - e, a população, na plateia, assistindo a tudo sentada, de braços cruzados, quase sem esperança de que exista algo que possa ser feito. A relação, pra lá de promíscua, entre o estado republicano - forte, soberano e cheio de privilégios -  e a sociedade, complexada pelo vira-latas de Nélson Rodrigues e repleta de culpados por aceitarem o jugo vindo através das migalhas, nos leva aos resultados de hoje, isto é, de extrema submissão aos senhores do poder que fazem o que querem, quando querem, tripudiam e riem da cara de todos, até deles mesmos, e, de quatro em quatro, ou de dois em dois anos, conquistam o direito legítimo de fazê-lo. Além da obrigação de votar e dos eventuais movimentos por mudança, que incluem as manifestações nas ruas e redes sociais, o povo brasileiro, raramente, participa de decisões políticas de verdade e esta cultura tem passado de geração em geração desde a antiga República quando só votavam os homens, os chamados 'cidadãos' e os coroneis, donos de grandes latifúndios, controlavam tudo em sua região, inclusive o voto dos subordinados. Os livros expressam muito bem a dependência: "eu te dou auxílio para educação, cuido da saúde de sua família, te dou o emprego, etc,. etc,. e você vota em quem eu disser". O voto de cabresto que os jornais de agora mostram o tempo todo. Diante dos desvios monstruosos de verbas públicas, políticos corruptos, votos secretos, imunidades, impunidades, mentiras e mais mentiras, promessas e mais promessas e das togas reluzentes - com raras exceções - a vestir autoridades com mãos pesadas, principalmente, contra quem não pode pagar ou só tem prestígio naqueles fatídicos domingos, dias de eleição, a maioria do povo brasileiro permanece inerte aos problemas da Nação, sem omitir opiniões, sem distinguir e sem acreditar que é possível deixar de ser apenas um coadjuvante e passar a mudar o fim daquele espetáculo que ele não quer mais somente aplaudir. Devemos acreditar que isto é possível, entretanto devemos fazer a nossa parte, ou seja, escolhendo melhor nossos representantes, a viabilidade de suas promessas, seu passado e não permitindo que o voto seja comercializado. Fácil? Não. Possível? Sim, desde que queiramos um Brasil melhor pra todos.

domingo, 29 de outubro de 2017

PRA COMEÇAR A SEMANA

"A ignorância é o nosso grande patrimônio nacional". (Paulo Francis)

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

PANORAMA

TEMER DEU CERTO

E, como já era esperado, a compra, digo, o empenho e o poder de convencimento do governo para arquivar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, deu certo. Foram 251 votos favoráveis e 233 contrários. Dois deputados se abstiveram, também conhecido como 'acovardaram' e outros 25 se ausentaram, ou seja, 'correram do pau'. A votação contrariou, em parte, as previsões do Palácio que apostava suas fichas, sempre com nosso dinheiro (fala-se em algo em torno de 1 bilhão em setembro e outubro por meio de empenho de emendas parlamentares, fora as nomeações de aliados, o Refis, mudanças no trabalho escravo), de que teria pelo menos 270 votos. Mas como a traição daquela gente, principalmente contra o povo, não é novidade por lá, o resultado aí está e serve para que se reflita sobre 2018, ano de eleições.

OBSTRUÇÕES 

E no cenário de muita expectativa, uma vez que o governo gastou o que tinha e até o que não tinha para assegurar o presidente Temer (77 anos) e seus principais aliados (ou seriam cúmplices?), ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco (somados uns 160 ), nos cargos, não é que Temer foi parar no Hospital do Exército? A exemplo do que costumam fazer os políticos quando a coisa aperta (é um tal de internações, indisposições, suspeitas de doenças graves, afastamentos repentinos para cirurgias urgentes, etc), o presidente mais na corda bamba e, talvez, o mais enrolado da história - acusado de corrupção passiva, por obstrução de Justiça e participação em organização criminosa, teve um desconforto por causa de outra obstrução, desta vez urológica. Mas sua assessoria nos informa que o chefe do quadrilhão do PMDB, sua excelência, passa bem e já está em casa, devido e certamente, sendo desobstruído pela bela e jovem esposa.

SÓ O COMEÇO

Se engana quem pensa que a luta terminou, isto é, que o custo de sobrevivência para que o presidente Temer fique até o dia 31 de dezembro do ano que vem está assegurado. Pra começar, a economia tem de melhorar muito e vários projetos, como a reforma da previdência, devem seguir como o planejado e ser aprovados por uma maioria que o governo começa a, sem trocadilho, temer. O Tesouro precisa fazer caixa (um de preferência) urgente, pois o ajuste fiscal virou promessa e os serviços federais sucumbem às barganhas do governo. Foram gastos mais de R$ 4 bilhões em emendas parlamentares antecipadas e mais de R$ 10 bi em dívidas refinanciadas em condições generosas para produtores rurais, dinheiro que precisa aparecer para aplacar a fúria dos lavradazes. Fora a rebelião na base aliada do PP, PR, PSD e outros partidos do "centrão" que cobram ministérios, cargos e verbas para continuar apoiando o governo. Como se vê, não foi à toa que o presidente 'passou mal...

PEDE PRA SAIR


E já que estamos falando em sujeira, corrupção, Congresso Nacional e custo Brasil para blindagens, nos lembramos da volta triunfal de Aécio Neves ao Senado. Depois de 'mandar' o Conselho de Ética (ahn, ética?) arquivar o segundo pedido de abertura de procedimento disciplinar (11 votos a 4) e de retornar à Casa com todos os direitos políticos assegurados, após o afastamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF), motivado por gravações pedindo dinheiro a Joesley Batista, da JBS, Aécio agora trabalha para continuar como presidente do PSDB (pelo menos até o fim do mandato que termina em dezembro, o famoso 'eu saí pela porta da frente'), mesmo sabendo que isto contraria o entendimento majoritário da cúpula do partido por considerar uma temeridade ele continuar. Para o tucano e vice-presidente, Tasso Jereissati, sua permanência 'arrebenta' com a imagem do partido, já arranhada com a votação pela anulação da decisão do STF. Sem falar nos prejuízos, em 2018, sendo este o ponto crucial para todos aqueles que só pensam no próprio umbigo.

SIM OU NÃO?

Sem conhecer ainda o resultado do plebiscito de domingo (29), para saber se a população de Niterói é  - foi - A FAVOR ou CONTRA o armamento da Guarda Municipal, desde já faço elogios à iniciativa democrática de deixar a maioria decidir sobre o que quer pra sua cidade (se for este o único motivo). Entretanto, a sinalização, caso seja - tenha sido - pelo SIM, pode não representar o melhor caminho uma vez que a população, por estar amedrontada e refém nas casas, no comércio, no trabalho, nos veículos, nas ruas, escolas e morros, deseja muito se sentir segura e a opção de mais agentes dando suporte, desta vez armados, não significa, necessariamente, que vão conseguir reduzir os índices de criminalidade, tampouco, desestimular uma bandidagem cada vez mais disposta a tudo, preparada com sofisticadas armas e com leis frágeis, estas sim, a protegê-los. Não vejo com bons olhos a nova prática, se aprovada pelo plebiscito, por entender que ela promoverá mais violência, consequentemente, aumento do número de conflitos, através de perigosos confrontos entre uma guarda mais visada, vulnerável e sob tensão de um lado, do outro, criminosos cujo objetivo é - e sempre será enquanto os políticos permitirem - matar, roubar, estuprar, sequestrar, barbarizar e nós, simples mortais, desarmados, sem poder de defesa e apavorados, no meio.

NOTÍCIA BOA

Para não dizer que não falamos de flores e que nossa coluna só aponta defeitos dos governos, corrupção e outros malfeitos de políticos brasileiros, aliás, os mais corruptos e menos producentes do planeta, numa relação custo-benefício, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central acaba de anunciar a redução da taxa básica de juros da economia de 8,25 % para 7,5 % ao ano. A estimativa dos analistas é positiva e de que o juro continue a recuar nos próximos meses, chegando a 7 % ao final de 2017 (mesmo assim, o Brasil continuará a ocupar o terceiro lugar no ranking mundial de juros reais). Isto está bem longe do ideal, pois também continuaremos a ter um dos créditos mais caros do mundo, haja vista os juros dos cartões e dos empréstimos, por exemplo. Mas como não torcemos para o quanto pior, como faz a maioria da oposição brasileira - fictícia e aproveitadora -ficamos no aguardo da melhora real da economia como um todo, com a geração de empregos, novos investimentos, controle da inflação o que trará  eficiência nos serviços públicos e, claro, sobre os gastos públicos e a roubalheira, este sim, o calcanhar de Aquiles e o grande mal que assola o País. 


Frase da Semana: 

Na esteira do plebiscito de Niterói, bem que o governo federal poderia fazer um plebiscito (referendo) para saber se a população é CONTRA ou A FAVOR da pena de morte ou prisão perpétua para quem pratica crime hediondo, da maioridade penal e do porte de arma.







quarta-feira, 25 de outubro de 2017

MÃOS AO ALTO

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, determinou que, no próximo domingo (29), a população diga se é CONTRA ou A FAVOR do armamento de sua guarda municipal. Através de plebiscito - atitude elogiável, pois um chefe de executivo deveria, sempre que possível, deixar a maioria decidir sobre questões importantes e controversas como estas -, o município vai sinalizar se quer continuar somente com as polícias atuando no combate à criminalidade, (a guarda dando apoio), ou se quer mais agentes com armas e, portanto, promovendo mais violência, uma vez que é indiscutível que, mais visados, vulneráveis e sob tensão, podem levar ao aumento do número de conflitos. Rodrigo tem deixado claro que, "com o baixo efetivo da PM, a solução seria treinar e armar os guardas" o que considero muito pouco para um município que pretende diminuir seus outros problemas. Temas relativos ao aumento de crimes, ineficiência e corrupção dentro do Estado (e a polícia faz parte do conjunto) e o medo da população não se restringem ao Rio de Janeiro, tampouco a Niterói, pois, raramente, se vê um município, por menor que seja, sem práticas de roubo, latrocínio, sequestro, extorsão, tráfico/consumo de drogas e todos os seus temíveis desdobramentos. A iniciativa da prefeitura de Niterói, para saber o que pensam e querem seus cidadãos, apesar de democrática (caso seja esta a real intenção) vem num momento em que ninguém mais aguenta tanta incerteza, tanta insegurança e o plebiscito de domingo pode conduzir ao voto sim por uma guarda armada o que, além de não resolver o problema em sua plenitude, abrirá mais exceções ao porte de armas, conduzindo à novas partidarizações, cotas, privilégios e brechas para que um governo decida quem está apto ou não para 'defender a sociedade e/ou sua própria vida'. A exemplo do que já acontece, dentro de alguns critérios, com agentes de autoridade de trânsito (recentemente aprovado pelo Congresso), o pessoal das forças armadas, PF, PRF, PFF, PC, PM, CBM, ABIN, DSGSI da presidência da República, polícias legislativas da Câmara e do Senado, agentes e guardas prisionais, guardas portuárias, auditores fiscais, magistrados, ministros do TCU, conselheiros dos TCE's, polícias técnico-científica, membros do MPU, MPE, diplomatas em missões diplomares e consulares e dos agentes dignatários e outras categorias cuja prerrogativa de andar armadas deve se basear na tese de estes terem mais preparo e equilíbrio que outros seres normais. O plebiscito de Niterói é muito mais uma demonstração de desespero das autoridades, que precisam fazer algo para intimidar o marginal e criar ares de proteção, mas reputo a atitude como na contramão uma vez que o criminoso, desequilibrado e disposto a tudo, continuará cometendo crimes hediondos - com armas sofisticadas e pesadas -, as leis continuarão a protegê-los e nós, cidadãos de bem, continuaremos com medo nas casas, no comércio, no trabalho, nos veículos, nas ruas, nas escolas e nos morros. Com as mãos desarmadas pro alto. Fica a pergunta: por que não se faz um plebiscito nacional para saber, por exemplo, se a população é CONTRA ou A FAVOR à pena de morte ou prisão perpétua para quem mata, estupra, sequestra e rouba dinheiro público?


 

domingo, 22 de outubro de 2017

QUE VENÇA O "MELHOR"

Depois de muita algazarra, muito faz de conta e do circo armado pelos congressistas, que diziam ser necessária uma 'profunda reforma política, pelo bem do Brasil', os gazeteiros, artistas e corporativistas - e espertos - deputados e senadores, aprovaram mudanças que pouco representam quando trata-se de moralizar o corrupto, injusto e desigual processo eleitoral em vigor que continuará beneficiando uma maioria corrupta, injusta, desigual - e astuta - classe de pessoas que conquistará os votos necessários à bala, com o derrame de dinheiro, falsas promessas, troca de favores, apoio de vereadores e prefeitos e tudo mais que possibilite a permanência numa casa onde prevalece o balcão de negócios. Abaixo, as principais mudanças:
01) CLÁUSULA DE BARREIRA –os partidos políticos precisam atingir um certo percentual de votos para terem acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de TV;

02) SISTEMA ELEITORAL- Nada mudou: continuamos com o indecente VOTO OBRIGATÓRIO e com o modelo PROPORCIONAL C/ LISTA ABERTA em que um candidato do tipo TIRIRICA é eleito e ainda consegue eleger mais candidatos de outros partidos coligados;
03) COLIGAÇÕES PARTIDÁRIAS- Válidas para 2018 e proibidas para 2020;
04) FINANCIAMENTO DE CAMPANHA- Criado um FUNDO ESPECIAL, no valor de R$ 1,700 bilhão, abastecido com 30% das emendas parlamentares e com  verbas dos programas partidários no rádio e na TV;
05) VEDA CANDIDATURAS AVULSAS NÃO PARTIDÁRIAS;
06) PERMITE CENSURA NA INTERNET, O QUE LIMITA A LIBERDADE DE EXPRESSÃO).

Esta é a reforminha eleitoral  que os políticos  impingem(iludem) o  eleitor , matéria prima da DEMOCRACIA

PRA COMEÇAR A SEMANA

"Quando o rebanho se une, o leão vai deitar com fome". (Provérbio Africano)

REI NA BARRIGA

O que diz e faz o ministro do STF, Gilmar Mendes - com toda aquela picardia e arrogância peculiares -, toda vez que surgem no cenário assuntos polêmicos como as novas mudanças nas regras do trabalho escravo (que Temer quer trocar pelos votos da base ruralista para continuar se safando), reforça a tese de que a corrupção, dentro e fora das instituições, pode estar muito bem protegida pelo poder que pessoas como ele tem nas mãos. E nas mangas. Dizer que, ao acumular funções de ministro do Supremo e presidente do TSE, não se sente "escravizado", numa comparação com aqueles trabalhadores que sofrem, de norte a sul do País, as agruras do comprovado regime de exploração, é ultrapassar qualquer limite de bom- senso, respeito e preocupação com as pessoas. Aliás, o que Gilmar não demonstra, pois toda vez que abre aquela bocarra para defender poderosos usa de ironia e comparações completamente esdrúxulas e descabidas. E de largos sorrisos e outros gestos de quem se sente verdadeiro senhor da razão e acima de qualquer suspeita.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

MAIA X TEMER

Tem gente que ainda acredita numa briga pra valer entre os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia e da República, Michel Temer. É claro e cristalino que estão em jogo muitas coisas. Interesses partidários, poder, as próximas eleições e, mais claro ainda, o dinheiro (aliás, em termos de Brasil atual, o mais corrupto dos corruptos, muito dinheiro). Os fatos, já rotineiros, não deverão afetar os ânimos dos personagens envolvidos, pois são, todos, da mesma estirpe e frequentam o mesmo valhacouto. Ah, não nos esqueçamos, também estão todos envolvidos até o talo. O cenário político, apesar de conturbado, não sofrerá alterações significativas (isto se não surgirem fatos novos, como a volta dos movimentos populares), uma vez que os dois fumarão o cachimbo da paz e a população, não só será afetada mais do que está, continuará pagando a conta pelos desmandos e irresponsabilidades dessa bagunça e levando, como sempre, mais fumo.

PARADOXAL

Responda com toda sinceridade: Somos um País sério? Pra quem acha que sim, lançamos as seguintes questões:
Num país sério, um deputado flagrado recebendo mala de dinheiro permanece solto?
Num país sério, um senador flagrado combinando propina e falando até em assassinato permanece em liberdade e tem todas as prerrogativas asseguradas?
Num país sério, um presidente é pego em evidente prevaricação e permanece no cargo?
Numa país sério, um ex-presidente envolvido em tantos crimes continua fazendo campanha vermelha e zombando da Justiça?
Num país sério, partido e políticos se dispõem a defender gente assim? 
Num país sério, um médico especialista em reprodução humana estupra dezenas de mulheres em fica 'preso' em casa?
Desculpem aqueles que acham que não se pode julgar um país e a seu povo pelo que meia dúzia faz. Mas o problema é este. Não é mais meia dúzia que mente, rouba, desvia, mata e comete outros crimes desta natureza. São milhares, talvez milhões de pessoas, direta e indiretamente, querendo levar vantagem e se lixando pra saúde, pra educação, pros aposentados, se temos ou não inflação e desemprego. Se a segurança pública nos garante o direito de ir e vir. Daí, eu te pergunto: somos um País sério?

ESGOTO NACIONAL

Nada pode reforçar mais a tese de que o Congresso Nacional é, mesmo, um antro, um covil, um grande circo e, supostamente, um rendez-vous (isto porque ainda não se transmitiu cenas mais picantes lá dentro). Uma Casa onde, ao invés de passar uma imagem de seriedade, de criação de leis favoráveis à população, de fiscalização permanente do Executivo, as negociatas, o corporativismo, o toma lá dá cá, a compra de parlamentares e tudo mais que represente a sordidez de uma instituição e o comprometimento deles com o esgoto e os meandros para se manter o poder e ganhar dinheiro, estão presentes no dia a dia daquele lugar. E os melhores exemplos de que isto é uma triste realidade que precisa ser expurgada, se possível, extinta (entendam como quiserem), o mais rápido, foram o arquivamento da segunda denúncia contra Temer e a volta de Aécio Neves ao Senado. A primeira se deu pela explícita distribuição de dinheiro aos parlamentares ( emendas, cash, etc) e, a segunda, pela mesma razão, acrescida pelo fato de 28 dos 44 senadores que votaram a favor do tucano responderem a inquéritos ou ações penais no STF.


VITÓRIA DA IMPUNIDADE

A sessão do Senado, na tarde-noite de terça-feira (17), ficará marcada nos anais como o "Dia da Vitória da Corrupção e da Impunidade". Isto porque 44 dos cúmplices, apaniguados, parceiros, seguidores (abaixo a lista completa)- ou qualquer outro nome que se possa dar a traidores da Pátria e sórdidos corporativistas - de Aécio Neves votaram pela revogação das medidas cautelares impostas pelo STF (pelo menos a parte mais sensível aos apelos populares e à obviedade de que ele cometeu crimes), devolvendo o mandato ao senador mineiro que, agora, além do retorno à Casa e às suas prerrogativas, dentre elas continuar fazendo o quiser com proteção ainda maior, terá de volta as outras coisas boas da vida como desfrutar as delícias do Rio. O espetáculo todo, até onde consegui apreender (e engolir) girou como num picadeiro e numa espécie de câmara dos horrores, onde, só pra variar, os artistas eram políticos inflamados, a favor e contra a decisão do Supremo, fazendo discursos muitos deles meio sem jeito, engraçados e alguns até paradoxais cujo resultado foi, mais uma vez, tripudiar e jogar a maior parte da população para arder, sem dó nem piedade, já que continuará a contar com o rigor da lei que, como se viu e como se vê o tempo todo, atingirá, principalmente, pretos, pobres e sem influência, deixando de fora quem tem mais poder. Mesmo, por exemplo, quem tenha brincado de mandar matar, pedido dinheiro a envolvidos na Lava Jato, mentido ao dizer que não fez fortuna na vida pública, chantageado ou corrompido alguém. Aliás, como, de acordo com o STF e as muitas e claras evidências, costumam fazer senadores da República. 


SENADORES QUE FORAM FAVORÁVEIS AO RETORNO DE AÉCIO:

Airton Sandoval (PMDB-SP);Antonio Anastasia (PSDB-MG); Ataídes Oliveira (PSDB-TO);Benedito de Lira (PP-AL);Cássio Cunha Lima (PSDB-PB); Cidinho Santos (PR-MT); Ciro Nogueira (PP-PI); Dalirio Beber (PSDB-SC); Dário Berger (PMDB-SC); Davi Alcolumbre (DEM-AP); Edison Lobão (PMDB-MA); Eduardo Amorim (PSDB-SE); Eduardo Braga (PMDB-AM); Eduardo Lopes (PRB-RJ); Elmano Férrer (PMDB-PI); Fernando Bezerra Coelho (PMDB-PE); Fernando Collor (PTC-AL); Flexa Ribeiro (PSDB-PA); Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN); Hélio José (PROS-DF); Ivo Cassol (PP-RO); Jader Barbalho (PMDB-PA); João Alberto Souza (PMDB-MA); José Agripino (DEM-RN); José Maranhão (PMDB-PB); José Serra (PSDB-SP); Maria do Carmo Alves (DEM-SE); Marta Suplicy (PMDB-SP); Omar Aziz (PSD-AM); Paulo Bauer (PSDB-SC); Pedro Chaves (PSC-MS); Raimundo Lira (PMDB-PB); Renan Calheiros (PMDB-AL); Roberto Rocha (PSDB-MA); Romero Jucá (PMDB-RR); Simone Tebet (PMDB-MS); Tasso Jereissati (PSDB-CE); Telmário Mota (PTB-RR); Valdir Raupp (PMDB-RO); Vicentinho Alves (PR-TO); Waldemir Moka (PMDB-MS); Wellington Fagundes (PR-MT); Wilder Morais (PP-GO) e Zeze Perrella (PMDB-MG).

terça-feira, 17 de outubro de 2017

DOENTES

No país da corrupção, muitos políticos (de todas as esferas), quando se descobre suas maracutaias, entram de licença médica, rapidinho, com as mais diferentes 'doenças'. Vão de supostos câncer, crise renal, problemas cardíacos e mentais, como estresse e depressão, até diverticulite, como aconteceu com o senador Romero Jucá logo depois de a família ser acusada por envolvimento em várias irregularidades no Programa Minha Casa Minha Vida (as investigações da Polícia Federal e da Receita Federal em Roraima apontam que filhos, noras e, possivelmente, a ex-esposa do senador, prefeita de Boa Vista, podem ter participado do desvio de R$ 32 milhões do programa federal). Só para não esquecer, ele também está enrolado na Lava Jato. Enquanto se 'recupera', bem acomodado no Hospital Sírio Libanês, com todos os excelentes recursos, devidamente, pagos com as mamatas do Congresso Nacional, Jucá deve estar acreditando que a poeira vai baixar, vão deixá-lo em paz e ele vai ficar bom pra outra. Armação ou qualquer malandragem que ele conhece bem e costuma lançar mão quando necessário.

sábado, 14 de outubro de 2017

PRA COMEÇAR A SEMANA

Uma vez por ano, vá a algum lugar onde nunca esteve antes. (Dalai Lama)

SEM ESPERANÇA

Supremo Tribunal Federal(STF): última esperança para milhões de brasileiros que pretendiam ver malfeitos praticados, principalmente, por políticos, sendo punidos de maneira exemplar. Mas ela vem morrendo , dia a dia, após cada julgamento importante, pois a população já viu que lá têm imperado o corporativismo e a previsibilidade, isto é, quando se trata de livrar a cara de um deles, a maioria ( disfarçadamente apertada) vence e os ministros, após um bate-boca, que já não convence tanto, acabam livrando a cara de criminosos que a população queria minimamente ver punidos. Como Aécio Neves que, na quarta-feira, se livrou do afastamento imposto por um Supremo que as pessoas não  acreditam tanto, tampouco depositam suas esperanças. Pelo menos, na maioria de seus membros.

PANORAMA

A PLENO VAPOR
Tem gente que ainda diz que as instituições no Brasil não estão funcionando. Estão, sim. Não como gostaríamos, é bem verdade, mas cada uma delas vem cumprindo seu papel direitinho ao usar o que tem em mãos, isto é, o que diz a lei e o poder de convencimento dos brilhantes advogados. É só olhar o que vêm fazendo alguns ministros do STF e membros de outras instâncias quando permitem a liberdade de criminosos como José Dirceu, Aécio Neves,Eike Batista, Roger Abdelmassih, Barata Filho e tantos outros que continuam andando por aí ou 'presos' em suas mansões gozando a vida numa boa e rindo de nossa cara.



MÃO ARMADA
Outro dia, ao passar na Praça do Rink, no Centro, parei para assistir um pequeno grupo de pessoas proferindo acalorados discursos contra o armamento da Guarda Municipal e sobre a consulta pública que a prefeitura irá fazer neste sentido no dia 29. Entre as mais entusiasmadas estava a vereadora Taliria Petrone, do PSol, que dizia não aguentar mais a violência na cidade - nem ela nem ninguém - e citava os motivos pelos quais defendia um rotundo NÃO ao plebiscito por não acreditar que armando a guarda teremos mais segurança. Acho que a combativa parlamentar tem razão quando diz que o ideal seria a atuação do Estado de forma preventiva, por meio de políticas públicas de assistência social, saúde, educação e moradia. Mas como estamos em Niterói, RJ, Brasil, e as estatísticas da criminalidade crescem cada vez mais, algo precisa ser feito e a consulta é uma opção para se saber se a população quer mais gente usando armas.


EXEMPLO DE QUISSAMÃ
Outro dia fui convidado pela turma do 5° ano da Tia Aline, da Escola Municipal Maria de Lourdes, em Quissamã (RJ), para falar um pouco sobre o jornalismo, como se faz um jornal, se produz um blog e coisas do tipo, uma vez que o assunto em questão era a produção de textos e para quem também trabalha com comunicação, há tanto tempo e com prazer, nada como aquela oportunidade para mostrar que através das letras, das palavras, pode-se atingir mundos imagináveis. E inimagináveis. Basta pensar, olhar e colocar no papel. Ou na telinha do computador e do smartphone. Parabéns à escola, à professora e, principalmente, àquelas crianças por quererem sonhar um sonho cada vez mais sem fronteiras e limites que é a comunicação.


PASADILMA

Pra quem acha que a Justiça está parada, pelo menos em se tratando de alguns dos malfeitos praticados por Dilma Rousseff e Sérgio Gabrielli, envolvendo, por exemplo, a Petrobras, o Tribunal de Contas da União (TCU) acaba de determinar o bloqueio de bens dos dois por irregularidades na aquisição de 50 por cento da Refinaria de Pasadena, nos EUA, em 2006. De acordo com a decisão do TCU, a compra foi aprovada com base em critério "antieconômicos" que causaram um prejuízo de US$580 milhões à empresa. E aos milhões de brasileiros e brasileiras. Vamos ver se isto avança ao ponto de deixá-los, quem sabe, inelegíveis durante um bom tempo. E, mais quem sabe ainda, tendo de pagar, literalmente, pelo grande mal causado à nação.




EDUCAÇÃO 1

Muito se fala sobre a educação de hoje. Muitas são as teorias, os blábláblás dos governos, dos políticos, até dos jurisconsultos, mas esta mensagem popular recebida, via whatsapp, pode ajudar a entender um pouco as razões de termos crianças e adultos tão mal-educados.
É EM CASA que as crianças devem aprender a dizer: Bom dia, boa tarde, boa noite, por favor, com licença, me desculpe, muito obrigado. grato, errei;
É EM CASA que também se aprende a: ser honesto, pontual, não xingar, ser solidário, respeitar a todos(amigos, colegas, idosos, professores, autoridades) e os animais;
Também EM CASA se aprende: a comer de tudo, a não falar de boca cheia, a ter higiene pessoal, a não jogar lixo no chão, ajudar os pais nas tarefas diárias, a não pegar o que não é seu;
Ainda EM CASA é que se aprende: a ser organizado, a cuidar de suas coisas, não mexer nas coisas dos outros, respeitar regras, usos e costumes, amar a Deus;
Porque NA ESCOLA os professores devem ensinar: matemática, português, história, geografia, língua estrangeira, ciências, química, física, biologia, filosofia, sociologia, educação física e artes ( e apenas reforçam o que o aluno aprende em casa).


EDUCAÇÃO 2
Ainda na linha do que alguns querem atribuir como sendo obrigação das escolas e dos educadores, confundindo modelo de educação, liberdade, libertinagem etc., vai aqui uma dica sobre o que não se deveria aprender NA ESCOLA, porque com o que se deveria aprender EM CASA se respeitaria a tudo e a todos:
1- Sexo
2-Ideologia de gênero
3- Ativismo LGBT
4-Comunismo
5- Esquerdismo
6-Islamismo


RUMO AOS EUA

Depois de mais de duas décadas sem pisar nos EUA, estamos de viagem marcada para a terra do Tio Sam. E como as coisas mudaram, de lá pra cá, quando trata-se de obter o visto. É que com o clima de terrorismo vivido pelos americanos e com a eleição do tradicionalista  - radical, às vezes -, Donald Trump, a ordem é os consulados fazerem uma varredura na vida de quem quer ou precisa obter o documento. São tantos os processos enfrentados, todos os dias, por milhares de pessoas que, após a entrevista final, quem sai com 'a águia (eagle) na mão' sente-se como quem bate um recorde olímpico ou derrota a seleção deles de basquete, lá, em sua casa (que saudade do Pan de Indianápolis, em 1987). Não reclamo da maratona, nem das regras impostas (mesmo porque fomos rápido e muito bem atendidos em todo o processo), pois  sabemos que os americanos são assim, precisos, autoritários, muitas vezes, e fazem valer a lei sem o tal do jeitinho brasileiro e da corrupção que se vê por aí.












quarta-feira, 11 de outubro de 2017

PRA INGLÊS VER

Só para variar, o Congresso Nacional, constituído por uma maioria corrupta e corporativista de corruptos e corporativistas representantes, mostrou que pretende manter todos os privilégios, principalmente, dos mandatários endinheirados, quase via de regra, corruptos e corporativistas. Isto porque acaba de aprovar - e ver sancionada pelo presidente Temer, do PMDB, os quais preferimos não qualificar - uma tímida reforma política que inclui a criação de um fundo com recursos públicos para financiar as campanhas (cortado de R$3 bilhões para "apenas" 1,5 bilhão, dinheiro suficiente para promover muitas melhorias na educação, saúde e segurança, por exemplo) e compensar o fim das doações de empresas, proibidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Também foi adotada uma cláusula de desempenho para os partidos (pretendendo diminuir seu número), o fim de coligações partidárias a partir de 2020 e a determinação de um teto de gastos para as candidaturas. Sem entrar no mérito se são importantes ou não, o que a sociedade questiona se eram as principais prioridades para se fazer uma verdadeira reforma que, para o velho dicionário Aurélio e o novo Dr. Google, é quando se "conserta, repara, restaura, emenda, corrige, retifica..." algo que só emperra a máquina e a mantém a serviço de uma minoria, no caso, o acesso e manutenção de políticos corruptos e seus patrocinadores que só pensam no próprio bolso, pouco ou nada fazem pela população e precisa ser extirpada o quanto antes, Aí, sim, ter-se-ia uma reforma que contemplaria aqueles que querem ter o direito de votar quando assim desejarem, assistir campanhas limpas, com candidatos cândidos - ou pelo menos sem processos judiciais ou quaisquer outras pendências (incluindo as protegidas pela imunidade parlamentar e pelos tais foros), o fim dos privilégios e tantos outros sonhos que os corruptos e corporativistas políticos nacionais não querem.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

NÃO AO ARMAMENTO

Dia desses, no Centro de Niterói, havia um movimento contra o armamento de sua Guarda Municipal. Por aderir a ele, há bastante tempo, parei para ouvir alguns dos discursos ali proferidos. Me chamou bastante atenção o de Taliria Petrone, vereadora mais votada na cidade, que de maneira contundente conseguia atrair mais pessoas para a ideia de que muito melhor que armar com pistolas a guarda - o que aumentaria a violência - seria atuar de forma preventiva por meio de políticas públicas. Parabéns à vereadora, às pessoas que dedicaram um pouco do tempo para ouvir propostas daquilo que mais lhes interessa e aflige hoje, a (in) segurança, e à maioria dos profissionais desta área que não desejam colocar a mão numa arma e aumentar a estatística de balas perdidas. E achadas.

CRUZ CREDO EM QUISSAMÃ

Como todo município que se preze, o de Quissamã, no norte do RJ, também tem suas particularidades. E excentricidades. Nesta linha, lá existe um personagem que, com garrafas cheias d'água - ou coisa que o valha - vem fazendo cruzes por ruas e avenidas numa tentativa de afastar os demônios lá existentes. Dizem que trata-se de sal grosso e que o homem se acha um verdadeiro exorcista. Pelo tamanho de Quissamã (716 km2) e do jeito que tem "coisa ruim" por lá, haja cruz. Credo!

PRA COMEÇAR A SEMANA

Não importa o tamanho da montanha. Ela não pode tampar o sol.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

PANORAMA

 MEIA SOLA

Enquanto a grande e verdadeira reforma política não vem, isto é, aquela que poderia nos dar, por exemplo, a opção pelo voto facultativo; uma verba de campanha bancada pelos próprios candidatos e seus correligionários; a coincidência das eleições (de vereador a presidente da República) e dos mandatos, com apenas dois seguidos para cada; o fim das atuais mordomias para quem exerce ou até mesmo exerceu cargos eletivos e tantos outros equívocos - sem falar nas aberrações - praticados dentro do Congresso Nacional, assembleias e câmaras municipais Brasil afora, continuamos sendo obrigados a assistir ao circo montado que conseguiu promulgar tão somente o fim das coligações partidárias proporcionais e a cláusula de desempenho, aquela que diminui a quantidade enorme de partidos. Um grande avanço, em se tratando do esforço empreendido costumeiramente naquelas casas de leis, também conhecida como casa da mãe Joana, das bacanais, etc.

NAMORO OU AMIZADE?

Tem gente que ainda estranha parcerias firmadas entre a suposta oposição liderada pelo PT com o PMDB de Temer e o PSDB de Aécio para manter, principalmente, tudo como está até 2018, ano das eleições. Para comprovar a incoerência ,afagos têm sido presenciados neste sentido, quase o tempo todo, basta alguém perder (e na política nacional é uma perda mesmo) um tempinho e assistir algumas sessões na Câmara federal e no Senado. Fica claro que o partido de Lula, Dilma, Dirceu, Gleise e tantos outros petralhas tem, como sempre, interesses escusos nisto pois não são raros discursos apontando na direção de acordões para livrar envolvidos nas muitas saca......, digo, roubalheiras praticadas por aí, deixando o candidato Lula da Silva no páreo.

CORRIDA 2018
E por falar em páreo, eleições ano que vem e na velha e conhecida política tupiniquim, aliás, uma das piores e mais corruptas do planeta, fica a pergunta: e as pesquisas? Levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas, no fim do mês passado, encomendado pela Revista IstoÉ, apontou uma liderança do ex-presidente Lula, com 26,6%; Jair Bolsonaro (PSC negociando com o Patriota, antigo PEN) em 2° lugar, variando de 18,5% a 20%. Em seguida João Dória e Marina, cabeça a cabeça. Vamos ver quem entra, de fato, na corrida, quem ficará de fora por causa da Ficha Limpa, quem poderá ser sabotado e se haverá a máxima 'que vença o melhor'.
STF x SENADO
E no Senado de Jucá (aquele da família que rouba unida permanece unida), Gleise (a presidente do PT, conhecida como Narizinho e "amante" enrolada na Lava Jato, Aécio (ops, este tá de castigo sem poder ver as meninas do Leblon), Requião (o 'maluquinho' que falou das idas e vindas aos gabinetes dos senadores de candidatos atrás de vagas no STF), Renan (recordista de processos) e até do raivoso Lindbergh, o assunto de todos os dias tem sido a 'intromissão' do Supremo Tribunal Federal no legislativo, o que poderia levar a uma 'profunda crise institucional'. Que crise, cara pálida? Aquela que pode diminuir a roubalheira no País, praticada por vocês ou a que continua deixando mais de 14 milhões de pais e mães de família sem ter o que levar pra casa no fim do dia? Tudo bem que o STF não seja nenhum convento (se bem que a presidente parece com aquela temível madre superiora dos filmes da Noviça Rebelde), tampouco uma ordem beneditina, mas enquanto guardião da Constituição existe para fazer cumprir as leis e dar bons exemplos. O que, vocês políticos deste Brasil, nem sempre fazem. Ou melhor, dificilmente. Assim, pau neles!
SONHO MEU
Às vezes, fico pensando se tudo que vem sendo feito, para que o Brasil deixe de ser um dos campeões de corrupção, é pra valer e vai dar certo. Principalmente, se será duradouro e as próximas gerações vão confiar na Justiça, acreditando no provérbio 'escreveu não leu, o pau comeu'. Se quem cometeu qualquer crime, seja ele culposo, doloso, do colarinho branco ao ladrão de galinhas, hediondo ou não, vai ter um julgamento imparcial e o mesmo tratamento quanto a pagar à sociedade o que deve, ficando trancafiado sem regalias ou quaisquer direitos que a grande maioria não tem. Se os políticos vão priorizar a população e empregar bem os recursos sem levar as habituais vantagens. Aí, alguém me chama ou faz barulho lá fora e acordo. Afinal de contas, nossa democracia é apenas um arremedo grotesco e era tudo um sonho.
  BOLA FORA DO HERMANO
O jornalista Ricardo Boechat, que veio da Argentina para nossa Niterói, faz um bom trabalho no rádio e na TV. Só que, de vez em quando, deixa a desejar quando quase generaliza o serviço público como algo praticado de maneira errada, com muita corrupção e desleixo por parte de quem o pratica. Prova disso é que na última quinta-feira enalteceu um projeto que se encontra no Senado e trata de uma avaliação anual que seria feita por uma comissão com a finalidade de punir, até com demissão de concursados, aquele que não estivesse exercendo com afinco seu trabalho. Só que o companheiro sabe muito bem que o mal maior do País, além da corrupção, é a permanente ingerência no setor por políticos que costumam apadrinhar os seus. Aí, 'doutor', já sabe, né: vai ser um tal de meu pirão primeiro, um terrorismo daqueles contra quem muitas vezes não faz bem seu trabalho por falta de condições e deu duro pra passar num concurso mas que, agora, alguns querem botar no olho da rua por 'mau desempenho'.




quarta-feira, 4 de outubro de 2017

PANORAMA

CANONIZAÇÃO A CAMINHO
Se Michel Temer, Aécio Neves, Lula da Silva, Paulo Maluf, Geddel Vieira e Sérgio Cabral não falaram "tem que manter isso aí, viu..."; "matar delator antes de delatar" e não têm nada a ver com tríplex, sítio e instituto; não lavaram sete milhões de dólares; não são donos da mala alguma encontrada em bunker na Bahia contendo 51 milhões de reais e não houve corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa, deve ser tudo uma grande peça de ficção escrita pelas mãos de juízes e procuradores como Sérgio Moro, Marcelo Bretas, Rodrigo Janot e do Tribunal de Recurso de Paris. Portanto, os homens da lei estão loucos e eles é que deveriam ser punidos, rigorosamente, por uma sessão especial do STF, presidida, quem sabe, por Gilmar Mendes, outro dos respeitáveis que deveriam ser canonizados pelo Papa Francisco por tanta inocência, retidão, amor ao próximo e pelos milagres que conseguiram. Entre eles o da multiplicação. 


COLCHA DE RETALHOS
Mais uma vez, a Câmara fingiu que está disposta a esclarecer possíveis envolvimentos de Michel Temer em crimes relacionados à corrupção e fingiu que acatou a segunda denúncia encaminhada pelo ex-procurador da PGR, Rodrigo Janot. E, novamente, vai armar um circo nos próximos dias para que os deputados digam se querem ou não que ela siga para o STF. Mas, na hora H (o momento máximo da transação que vai comprar, cooptar e convencer a maioria), o circo e os fingimentos darão lugar à grana das emendas parlamentares e o presidente escapa de mais uma. É bom ficarmos de olho vivo, pois só falta um ano para as eleições quase gerais (menos prefeito e vereador), inclusive de deputados que votam ou não por esconder as patifarias do Executivo através de um 'dinheirinho' que vem por fora e por dentro das emendas.

PER$UA$ÃO
Só para lembrar: Na primeira denúncia contra Temer, foram gastos mais de R$ 2 bilhões em emendas parlamentares. Ou seja, o poder de persuasão do Executivo aliado ao mau-caratismo e ao preço da maioria da Comissão da Câmara tem a capacidade de fazer coisas que até o diabo duvida. Como dizer não ao clamor popular que exige mais investigações contra quem botou a mão a botija e colocar de joelhos alguns juízes do STF que deverão dizer que não há 'provas claras de envolvimento do presidente, um novo afastamento traria mais instabilidade ao País, problemas na economia, perda de credibilidade internacional, enfim, outros tantos blá-blá-blás utilizados para blindá-lo até 31 de dezembro de 2018.


EXEMPLO COREANO

Que os presidentes da Coreia da Norte, Kim Jong-un e dos EUA, Donald Trump, cometem seus erros e estão doidos por uma guerra, o mundo todo já sabe. Que cada um, a sua maneira (ditadura de um lado e democracia do outro), consegue enganar o povo também. Mas existe uma lição disso tudo pra nós, do lado de cá do Equador. A Coreia equivale ao Estado do Amapá em tamanho físico, um povo privado de informações - sejam canais de TV e rádio sem controle do governo, Internet, nem pensar - com pouquíssimos recursos e hoje embargos internacionais para piorar o que é ruim. Independente de estarem certos ou errados (e uma guerra nos tempos de hoje, de grandes arsenais nucleares, é sempre a pior opção), continuam convictos de que não se pode viver de joelhos. E é aí que devemos torcer para o bom senso prevalecer, os brasileiros deixarem de lado o complexo de Vira-Latas que o torna submisso e, principalmente, que o mundo continue a existir.

BOLA FORA 

Nem Freud explicaria o que vem acontecendo na e com a política nacional (com o País, talvez Jung). Há três anos, eu e milhões de outros eleitores votamos em Aécio Neves para presidente com a esperança de que ele, e o PSDB de tanta gente boa, reoxigenassem a política, tirando de cena o PT de Lula e Dilma, seus 12 anos de roubalheira e se tentasse algo novo, aproveitando as coisas boas feitas pelo governo FHC. Quebramos a cara! Isto não aconteceu, o PT venceu, Dilma sofreu impeachment, Temer assumiu e, hoje, seus poucos mais de 3% de aprovação, mostram que tá tudo muito ruim. Mas para não dizer que a derrota foi só esta, 'nosso' candidato mostrou que faz parte do mesma farinha (sem trocadilho, hein!) de um saco chamado partidos e políticos brasileiros e acaba de ter o mandato cassado pelo STF.

MUDA BRASIL

Os muitos erros cometidos por Aécio Neves, que tinha tudo para chegar ao cargo mais alto da República e trilhar os passos do avô, Tancredo, mostraram que é muito difícil política e polícia (Justiça) não se misturarem. Acabamos de ver comprovado seu envolvimento direto com o que de pior existe, acabando por lhe render igual destino (além do afastamento do mandato parlamentar, Aécio não pode, sequer, sair de casa à noite). Pensar em seu futuro, com brilhantismo e os resultados de outrora, é achar que o Brasil não está mudando. E está. Quem insistir na cantilena de que o povo esquece e, passado um tempinho, reconduz pessoas como ele a condições anteriores (Aécio foi presidente da Câmara federal, governador e ainda está senador) é o mesmo que achar que os últimos números de votos brancos, nulos e abstenções não significa muita coisa e será passageiro. Mas não é!

terça-feira, 3 de outubro de 2017

PRA COMEÇAR A SEMANA

Mais um ato de extrema intolerância e loucura. Resultado: 59 mortos e 257 feridos em Las Vegas.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

SANTOS RÉUS

Em termos de combate e índices de corrupção, o Brasil está bem melhor que Dinamarca, Finlândia, Suécia, Nova Zelândia e Noruega. Juntas. O que está sendo feito contra Michel Temer, Aécio Neves, Lula da Silva, Paulo Maluf, Geddel Vieira e Sérgio Cabral, por exemplo, é a mais pura injustiça e uma perseguição implacável da população e boa parte da Imprensa contra aqueles que só querem o bem do País e nada fizeram para se apropriar de dinheiro público. Pelo menos é o que falam os acusados pegos com a mão na botija e pensam - vociferam e até blasfemam - seus bons, renomados e caríssimos advogados cuja defesa tem ido nesta direção ao dizer que seus clientes não falaram "tem que manter isso aí, viu..."; "matar delator antes de delatar" e "não têm nada a ver com tríplex, sítio e instituto"; "não lavaram sete milhões de dólares"; "não são donos da mala encontrada em bunker na Bahia contendo 51 milhões de reais" e que "corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa são parte integrante de uma grande peça de ficção escrita pelas mãos de juízes e procuradores como Sérgio Moro, Marcelo Bretas, Rodrigo Janot e do Tribunal de Recurso de Paris". E vinda da mídia produzida pela cabeça de jornalistas como nós que perseguimos a corrupção, principalmente, a política, que tantos problemas vem causando em termos de distribuição de renda, à saúde, à educação, à segurança e aos transportes, pois estes recursos desviados seriam destinados a estas áreas (ou alguém ainda duvida de quem paga a conta e que ela vem toda dos superfaturamentos?) Aliás, desvios que servem para pagar honorários advocatícios dos que negam que Temer, Aécio, Lula, Maluf, Geddel e Cabral tenham praticado os ilícitos, mas que a maioria dos brasileiros e brasileiros têm convicção que fizeram com os muitos cúmplices de uma grande quadrilha que tomou de assalto o Brasil nos últimos anos.